domingo, 28 de março de 2010

Cardápio/Menu, a trilha para optar pela melhor refeição


Vários fatores são levados em consideração para se compor um cardápio. Quanto se espera gastar? Quais as aptidões culinárias de quem vai preparar a comida, e a possibilidade de recorrer-se a um ajudante? Planejar uma refeição requer imaginação, bom gosto, tempo e cuidar dos detalhes imprescindíveis.
Jamais utilize uma refeição para experimentar novos pratos. O servir recomenda oferecer o que já foi testado e agradou. E endossa a qualidade de quem a preparou.
Quem recebe com frequência, deve ter anotado os menus previamente usados, a fim de evitar a repetição dos pratos com os mesmos convidados.
Na atualidade, servir um prato de entrada, outro principal e a seguir a sobremesa, é considerado suficiente como uma refeição. Entretanto, a composição deve ser equilibrada.
Se o cozinheiro é o anfitrião, recomenda-se escolher pratos que possam ser elaborados com antecipação e não exijam detalhes de última hora. Caso contrário, corre-se o risco de haver demora para os convidados, que ficarão sozinhos. É um detalhe indelicado.
Conhecendo os convidados, leva-se em conta possíveis limitações que possam ter, tais como: dietas, alergias ou restrições religiosas. É obrigação do convidado, ao aceitar o convite, informar qualquer impedimento ou restrição particular que tenha, de modo que o anfitrião possa preparar o menu com tranquilidade e sem surpresas, difíceis de remediar no momento de servir-se a comida. No caso do convidado deparar-se com alimento que não possa ingerir, deixará discretamente de lado, sem chamar a atenção para o mesmo.
Um menu requer os seguintes cuidados:
  • Jamais repita os mesmos ingredientes nos pratos. Por exemplo, se for servida entrada composta de creme de leite, o prato principal com acompanhamento à base creme de leite, e, por último, a sobremesa novamente com o mesmo ingrediente, o resultado será enjoativo, pouco original e péssimo do ponto de vista nutritivo;
  • Evite repetir as mesmas cores: entrada de cor branca, seguida de prato principal na mesma cor, e a sobremesa idem. Trata-se de um detalhe pouco atrativo e monótono. Dê cor à refeição, busque a variedade, seja criativo;
    A apresentação dos pratos, ou travessas, é fundamental. Sabe-se que “a comida degusta-se pelos olhos”. Deve ser visualmente atraente, apetitosa e convidativa para ser saboreada;
  • Evite servir molhos diferentes num mesmo prato, ocorrerá uma interferência nos sabores, além de comprometer a apresentação.
Elaborado o menu, é chegada a vez de escolher-se as bebidas, que serão servidas na refeição, as quais devem ser selecionadas com cuidado.
Leve em consideração os passos a seguir:
  • Comece com aperitivos;
  • A seguir, sirva o vinho;
  • Finalmente, um digestivo (conhaque ou licor).
Existem pessoas abstêmias ao álcool, por razões diversas.
A elas serão apresentadas as opções de suco de frutas, refrigerantes (prestar atenção se existe preferência por diet ou zero calories), ou água mineral (gasosa ou não). O vinho a servir deverá estar coerente com os prato.
Geralmente, inicia-se com vinho branco, acompanhando as sopas ou peixes. A seguir, é a vez do tinto, servido com carne. E na sobremesa, um branco generoso, ou espumante, assim como um porto doce, ou branco gelado. Os digestivos serão servidos com o café, ou após, podendo ser licores e ou aguardentes.
É oportuno consultar um livro de culinária ao elaborar-se um menu. Existe toda uma biblioteca disponível, inclusive na Internet. Lembre-se que o anfitrião vê-se no dever de oferecer seu melhor. Os convidados vão julgar e apreciar a refeição e o gesto.
A descoberta de uma nova receita faz mais pela felicidade do gênero humano do que a descoberta de uma estrela”.
Brillant-Savarin


 


Um comentário:

  1. A receita é boa. Agora, é preciso ter os ingredientes.
    Boa receita!

    ResponderExcluir

Você provavelmente vai gostar também de:

Related Posts with Thumbnails